• Amanda Santos

O Acesso ao Cinema no Brasil

Tema da redação do Enem deste ano gerou questionamentos sobre o real acesso ao audiovisual no país.



Todos os anos, o tema da redação do Enem é um dos mais aguardados entre os vestibulares do país. Em 2019, a redação (que sempre gera comentários discussões entre os especialistas e nas redes sociais) criou uma polarização: os que achavam que o tema não era tão relevante assim, e outros que viram a redação como algo a gerar um questionamento social. Aqui na Onze Trinta, fazemos parte do segundo grupo, e nos perguntamos: como é realmente o acesso ao cinema em todas as partes do país?


Um país continental

Em um país de proporções continentais como o Brasil, é comum haver disparidades socioeconômicas entre regiões e, no caso das salas de cinema, não é diferente. Mesmo o país tendo fechado 2018 com o maior número de salas desde 1975, quase 90 milhões de brasileiros ainda vivem em cidades sem cinema. Enquanto nas grandes cidades é natural ter uma sala próxima, os moradores do interior dos estados brasileiros sofrem com a falta delas.


Distribuição geográfica das salas

Enquanto o estado de São Paulo tem ⅓ das salas de cinema do país e uma proporção de mais de 2 salas de cinema para cada 100 mil habitantes, o Acre tem pior oferta do país, com apenas 5 salas no estado inteiro (e uma média de 163,3 mil pessoas para cada espaço de exibição no estado). O Distrito Federal é onde há a melhor oferta de salas, com 33.832 habitantes por sala de cinema. Mesmo assim, o sudeste concentra 54,7% das salas de cinema do país. O principal motivo é que há uma opção por construir novas salas em grandes centros populacionais, e em grandes complexos, como shoppings e galerias.


Cinema Perto de Você

Em 2010 a Ancine lançou em parceria com o BNDES o programa Cinema Perto de Você, para ampliar o acesso ao cinema nas regiões menos atendidas do país, como Norte e Nordeste, as periferias urbanas, e as pequenas e médias cidades do interior. Uma das metas do Cinema Perto de Você é que não haja município com mais de 100 mil habitantes sem salas de cinema. Outra meta é que a média nacional de habitantes por sala seja de 60 mil; para atingir hoje esse número, são necessárias mais 300 salas pelo país.

O cinema ainda não é acessível a uma boa parte da população brasileira. Com a mudança das forma de consumo e a diminuição dos cinemas de rua nos anos 1990, muitas cidades ficaram sem salas. Como já falamos aqui, o cinema nasceu como uma diversão popular, e se consolidou como uma atividade de preços acessíveis e próxima do espectador. Trazer o cinema para perto da população novamente é também fornecer acesso à cultura para essas pessoas.


Na Onze Trinta buscamos sempre uma acessibilidade para nossas produções, e para todas as histórias que contamos. Tem uma história para contar? Conheça o que a Onze Trinta pode lhe oferecer!

0 visualização