Home Onze Trinta Produtora de videos.png

Recent Posts

Para receber nossos posts, cadastre-se.

Encontre pelo tema

Marketing de Guerrilha: Chamando Atenção com Criatividade

Uma estratégia focada na publicidade com uma abordagem criativa e pouco convencional, criada nos anos 1980, e que ainda faz muito sucesso.

Campanhas inesperadas e realizadas com mais criatividade que orçamento. O Guerrilla Marketing, como é conhecido em inglês, foi criado pelo publicitário estadunidense Jay Conrad Levinson na década de 1980, com a ideia que empresas de pequeno e médio porte podem e devem competir no mercado com as grandes companhias. A diferença, segundo o autor, é a abordagem, que deve ser como a dos guerrilheiros: usar armas mais eficazes, baseadas na criatividade e na inovação.


Criatividade e energia

Para o Marketing de Guerrilha acontecer, é preciso criar uma experiência memorável para o consumidor. E, para uma campanha ser bem-sucedida, o orçamento não é o fator limitante: é preciso, antes de dinheiro, criatividade e energia. Tanto que na maioria das vezes as ações ocorrem em locais com grande circulação de público. Mesmo sendo um conceito criado nos anos 1980, é com a internet que este ganha maior força, principalmente com o abandono de canais tradicionais, onde as campanhas tendem a viralizar.


Não-tradicional

Como hoje somos bombardeados com informações a todo momento, nos tornamos mais seletivos com relação às coisas que merecem a nossa atenção. Sendo assim, não nos sentimos mais tão atraídos pelos anúncios tradicionais; no Marketing de Guerrilha, a ação é quase impossível de ser ignorada, marcando também a experiência nas mentes daqueles que foram atingidos (que quase nem percebem que foram influenciados). A ruptura do marketing tradicional e da forma como a marca se comunica e interage com sua audiência é o diferencial.


Vantagens

Por que investir no Marketing de Guerrilha? Um motivo muito válido é a possibilidade de realizar muito mais por muito menos. Tecnicamente, o Marketing de Guerrilha e o tradicional não possuem muitas diferenças entre si. Os dois são realizados através de anúncios que têm como objetivo chamar a atenção, a diferença básica é a abordagem. O Marketing de Guerrilha quando bem sucedido tem a tendência a viralizar nas redes sociais, que resulta em interação e altos índices de engajamento e interatividade.


Como trabalhar

O primeiro passo para um Marketing de Guerrilha de sucesso é entender (e muito bem) a persona, o público-alvo. É importante considerar clientes já existentes, clientes futuros e várias personas que possam aderir à marca ou ao produto através de uma ação de marketing. Como algo único, criativo e inesperado, as pessoas atingidas devem conseguir reconhecer o tom de voz e a forma de comunicação já estabelecida. E isso é alcançado se não ocorrerem mudanças abruptas na abordagem. Um bom storytelling que desperte as emoções desejadas e guie o público ao objetivo proposto, com a ajuda de uma grande e minuciosa pesquisa do ambiente e seus frequentadores deixa tudo mais interessante e memorável.


O Marketing de Guerrilha e o Marketing Digital casam perfeitamente em ideias e, se precisássemos resumir, uma palavra bastaria: interatividade. As pessoas gostam de participar, de comentar, compartilhar e engajar ativamente com o conteúdo mostrado. Aproveitar todos os recursos que o meio digital oferece, provocando a audiência e convidando os espectadores para a ação, garante uma taxa de sucesso muito maior. Se destacar da concorrência homogênea é o objetivo!


O Marketing de Guerrilha possui um impacto gigantesco quando bem aplicado. Você tem uma ideia? Converse com a Onze Trinta para torná-la realidade.