• Amanda Santos

Coronavírus: Efeitos na Indústria Cultural e Como se Proteger


Cinemas vazios, restaurantes fechados e eventos cancelados: a pandemia do COVID-19, o novo coronavírus, começa a mostrar seus efeitos também na indústria cultural. Em uma semana em que países, estados e cidades anunciaram o fechamento de divisas e suspensão de eventos com mais de 100 pessoas, começamos também a sentir o impacto do vírus que vem se alastrando pelo mundo.


Impacto na indústria

Dessa vez, não são os filmes de terror que estão assombrando as salas de espetáculos pelo mundo. Toda a indústria cultural sofrerá rombos inimagináveis em 2020: shows cancelados, filmes com estreias adiadas, espetáculos fechados - como toda a Broadway, em Nova York - mas é o audiovisual que vem sofrendo as maiores perdas. É claro, os pequenos empresários são a parte econômica que mais sofrerá com a crise que se instala pelo mundo, mas isso não quer dizer que as grandes indústrias não sofrerão também. No caso do audiovisual, os países mais afetados pela doença - China e Itália - estavam passando por um boom em suas áreas cinematográficas (a China, inclusive, estava prevista para passar os EUA em produções neste ano).


Desistências, cancelamentos e adiamentos

Los Angeles, a cidade das estrelas nos EUA, está vazia. Nem mesmo a icônica calçada da fama e os tradicionais ônibus panorâmicos possuem turistas ou locais. Até mesmo a sede da Netflix, gigante das produções e do streaming, está lacrada. Tal crise só pôde ser vista nos meses pós-11 de setembro. O novo coronavírus chega no auge de um momento de expansão do audiovisual, quando a produção e o consumo de filmes e séries se tornou sem fronteiras. Se infiltrou sem restrições em aglomerados comuns, como cinemas, parques de diversão e festivais. Sem contar com as pequenas cidades ambulantes, com dezenas, centenas, muitas vezes milhares de pessoas em convívio estreito que é uma produção audiovisual. Tudo adiado ou cancelado, até que a crise passe ou seja contida. Inclusive, o SINDCINE - Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica e do Audiovisual - soltou uma carta aberta sobre as medidas a serem tomadas em produtoras e produções por todo país.


Tá, mas como evitar?

Sim, estamos em estado de pandemia. E sim, o COVID-19 é altamente contagioso. Mas não podemos nos desesperar. Não é hora de sair comprando tudo nos supermercados, acumulando produtos e alimentos. Existem medidas de segurança que todos podemos tomar para que a pandemia não se espalhe e alcance proporções absurdas. O mais importante, como em qualquer caso de transmissão de doenças, é a prevenção e, para isso, seguir as orientações dos órgãos responsáveis e de serviços de informação confiáveis é fundamental. Uma das mais importantes medidas, contudo, é justamente a mais simples, e que é capaz de prevenir várias outras doenças: lavar as mãos corretamente.


Siga as orientações, fique em casa se possível e, em caso de sintomas graves, procure o posto de saúde mais próximo. Lembre-se que a população mais vulnerável é a de idosos e de pessoas com doenças crônicas, e que o vírus é transmissível mesmo quando assintomático. Podemos cuidar uns dos outros desta forma; então, não sejamos egoístas!




Aqui na Onze Trinta estamos tomando todas as medidas possíveis para manter nossa equipe e todos que trabalham conosco protegidos e saudáveis. Proteja-se, e saiba o que a Onze Trinta pode fazer por você.

0 visualização